Pastoral do Ministros

Pastoral dos Mesc's - Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão

mesc

 

Instituição: Iniciou-se a título de experiência por três anos coma instrução “FIDEI CUSTOS” de 30 de abril de 1969. Essa experiência foi aprovada e confirmada para a Igreja Católica como um todo pelo Papa Paulo VI, no dia 29 de janeiro de 1973,pela instrução IMMENSAE CARITATIS, da congregação para a disciplina dos Sacramentos.

 

Atribuições dos Ministros (Mesc’s):

1- Dignidade no modo de viver segundo o evangelho.

  1.   2- Obediência às normas e ritos determinados pela Santa Sé, pela Arquidiocese e Paróquia.
  2.   3- Interesse pela sua própria formação, comparecendo aos encontros programados pela Paróquia ou setor.
  3.   4- Ser auxiliar do Ministro ordenado nos atos litúrgicos sendo como principal a Santa Missa.
  4.   5-Levar a comunhão aos doentes em domicílio e ou em hospitais e asilos e também visitar os idosos e doentes.
  5.   6-Presidir a celebração da Palavra sem padre quando houver necessidade.
  6.   7-Participar ativamente da procissão de CORPUS CHRISTI.
  7.   8- Usar o uniforme quando a serviço no altar, na procissão de CORPUS CHRISTI, nas exéquias e ao levar a Santa eucaristia aos doentes e idosos impossibilitados de      ir à igreja.
  8.   9-Observar com rigor a escala.
  9.  10-  Participar das Horas Santas na Paróquia e igreja da Ordem.
  10. 11-  Consultar o Pároco em caso de dúvidas no exercício de seu ministério.

 MANUAL DO MINISTRO EXTRAORDINARIO DA SAG 1303250962B

COMO SÃO ESCOLHIDOS OS MINISTROS

 

          De modo geral os ministros são pessoas que a comunidade indica ao pároco e este após uma analise criteriosa convida para exercer esse ministério junto à paróquia.

 

          Após esse convite a pessoa é inscrita num curso de formação do qual deve participar integralmente e terminado o curso em data previamente determinada recebe do bispo a chamada “Investidura” a partir daí passa a exercer a função obedecendo todas as normas pertinentes à função. Durante seu mandato de ministro passa por vários cursos, reuniões e retiros.

 

 

 

QUAL A DURAÇÃO DO MANDATO?

 

Em média é de dois anos, podendo a critério do pároco, ser renovado por mais três vezes. Os ministros também podem pedir afastamento por doença ou algum motivo de ordem pessoal.  O pároco também pode suspender o mandato se algum motivo de força maior assim o exigir.

 

Ser ministro é uma missão de fé e amor ao próximo.

 

Ser ministro é estar a serviço da comunidade e principalmente fazer tudo com muito amor. 

 

Texto enviado por Ivo José Sumeck e Agostinho Bryk (Ministros Extraordinários da Comunhão)