400 ANOS DO CARISMA VICENTINO - UM CAMINHO DE FÉ E SANTIDADE...

    Como Família Vicentina, celebramos em 2017 os 400 anos de nosso Carisma fundacional. Ele é para nós um dom e um compromisso, o modo como Deus nos convida a participar ativa e criativamente de Sua obra. Este carisma (charisma = graça) não é fruto dos esforços ou méritos de nossos Fundadores, tampouco nosso, mas é puramente graça divina, expressão da ação vivificante do Espírito na história que, em sua multiplicidade e gratuidade de dons, os distribui entre nós e para o bem de todos/as (cf. 1 Cor 12, 11).

 

Carisma Vicentino Texto 600 x 400

 

 

     Os acontecimentos de Folleville e Châtillon marcaram, em 1617, o início do carisma vicentino que prossegue hoje um caminho de 400 anos de serviço aos pobres, seguindo o exemplo de seu fundador São Vicente de Paulo, padroeiro universal das Obras de caridade. Neste ano de 1617, São Vicente viveu duas experiências que transformaram a sua vida, e que através desta inicia-se o Carisma Vicentino.
A primeira, em Folleville, no norte de Paris, quando foi chamado para visitar um camponês, que estava morrendo. Ele tinha a reputação de ser um santo homem, mas na realidade, escondia pecados graves. Vicente o incentivou a fazer uma confissão geral. A sua confissão sincera tocou profundamente o coração de Vicente. Em seguida, no dia 25 de janeiro, Vicente fez um sermão tão potente e de fácil compreensão que, logo após as confissões se tornaram tão numerosas, que ficou difícil serem atendidas por um só padre. Foram obrigados a procurar outros confessores para ajudá-lo. Vicente considerou este sermão como o início da Congregação da Missão (padres vicentinos).
    No mesmo ano, em Châtillon, no mês de agosto de 1617, teve uma segunda experiência, que mudou a sua vida. Soube que os membros de uma família da sua paróquia estavam bastante doentes. No seu sermão fez um apelo aos fiéis a fim de ajudá-los. Mais tarde, no caminho encontrou numerosas mulheres que retornavam da casa dos doentes. Ele descobriu que a caridade devia ser melhor organizada. Fundou as Damas da Caridade, conhecidas hoje com o nome de AIC.
   Missão (Folleville) e Caridade (Châtillon) estavam no meio da ação de Vicente para com os pobres. Desde 1617, mais de 300 ramos germinaram na árvore da Família Vicentina. São três as fundações de São Vicente: as Damas da Caridade (AIC), os Lazaristas (Padres da Congregação da Missão) e as Filhas da Caridade. Mas temos um ramo muito grande, a Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP), 800.000 membros, que desde sua organização assiste os pobres de variadas formas.
    O Carisma Vicentino é um dom: Os carismas são dons do Espírito Santo à Igreja para o bem de seus membros, bem como para o bem de todos. Os carismas são realidades espirituais dinâmicas, que respondem a situações históricas concretas da Igreja e da humanidade. A Igreja vê os carismas nascerem em seu interior, e eles constituem sua riqueza e sua resposta concreta aos desafios que o mundo lhe apresenta. O Carisma Vicentino continua sendo, hoje, um dom para a Igreja e para o mundo quanto à evangelização e ao serviço dos pobres.

    O Carisma Vicentino é um carisma laical: O carisma vicentino é secular. Nasce com os leigos e são eles quem primeiro o vivem. Recordemos a fundação de São Vicente em Chatillon do primeiro grupo das Damas da Caridade (1617): As senhoras que se associaram caritativamente para assistir aos pobres enfermos.
    O Carisma Vicentino é um carisma missionário: Nasce com São Vicente de Paulo em 1617, e em 1625 funda a Congregação da Missão e em 1633 funda com Santa Luísa de Marillac, a Companhia das Filhas da Caridade.
    Desde o início o Carisma Vicentino segue a Jesus Cristo, evangelizador e servidor dos pobres. Para São Vicente, Jesus é o Filho de Deus que vem a este mundo e compadece-se das multidões famintas, vai de aldeia em aldeia e de povo em povo ensinando nas sinagogas. Jesus Cristo é, para ele, o missionário do Pai, enviado para evangelizar e servir aos pobres; é o missionário perfeito, a quem não se pode seguir senão imitando-o e revestindo-se de seu espírito: quem foi? O que disse? O que fez? Estas são as perguntas permanentes para quem quer seguir a Jesus Cristo e continuar Sua missão.
    Desde o início o Carisma Vicentino vive o Espírito Evangélico de humildade, simplicidade e de caridade afetiva e efetiva.
São Vicente chama a simplicidade de "meu Evangelho". Esta é uma das formas privilegiadas do Carisma, necessária para aproximar-se do pobre. Mais que uma virtude, a simplicidade é, sobretudo, espírito que supõe um conjunto de qualidades ou de virtudes. A simplicidade é viver e dizer a verdade. Da humildade São Vicente dizia: "é a virtude que mais aprecio". É o fundamento da vida espiritual e da condição primeira da evangelização. Ela nos leva a reconhecer que recebemos tudo de Deus e, por isso, a agradecer e a esperar tudo Dele. Faz-nos reconhecer o que somos e dispõe-nos para sermos servidores. Acerca do amor e da caridade, São Vicente dizia: "Amemos a Deus, meus irmãos, amemos a Deus, mas que seja com o esforço de nossos braços e com o suor de nossa fronte".


O Carisma Vicentino é um carisma atual São Vicente dizia:

    Nossa vocação nos impulsiona a servir aos mais vulneráveis, aos mais abandonados, aos mais oprimidos pelas misérias materiais e espirituais. Falando da atualidade do Carisma, João Paulo II disse às Filhas da Caridade: O carisma do Senhor Vicente é de uma provocadora atualidade. Cabe a vós torná-lo vivo aonde quer que sejam enviadas. Assistimos à descoberta da riqueza e atualidade do Carisma Vicentino na Igreja e no mundo. São milhares os leigos que hoje estão conhecendo em profundidade o Carisma Vicentino e buscando caminhos novos para vivê-lo.
    Este ano jubilar nos dá a oportunidade de revisitar nossas origens, contemplar a vida e a obra daqueles/as que nos precederam as suas experiências de fé, suas percepções da vida e do mundo. Em 2017 os diferentes ramos da Família Vicentina são convidados a encontrar formas de marcar e celebrar este jubileu, agradecendo a Deus pela história trilhada até aqui e confiando à Providência Divina os caminhos que virão.
    Em tempos de crises e reconstruções na sociedade, na igreja, na vida consagrada e em nossas comunidades, São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac, nos ensinam a impregnar de fé nossas travessias, a fim de que nos seja possível enxergar além das aparências, despertando novas auroras de esperança dinâmica e criatividade fiel, neste mundo em permanente movimento, sedento de Deus e carente de sentido. Em cada acontecimento da historia, a fé nos permite contemplar a ação providencial de Deus que solicita nosso engajamento.

    Em cada irmão ou irmã que convive e trabalha conosco, um apelo à conversão e á cordialidade. No próximo sofrido e empobrecido, a imagem viva de Jesus Cristo a tocar nossa sensibilidade e a despertar-nos a audácia da caridade para um novo elã missionário. A Família Vicentina está presente nos cinco continentes com uma grande variedade de ministérios: missões, obras de assistência médica, atenção aos sem-teto, refugiados, crianças abandonadas, mães que sustentam suas famílias, e a favor da educação, formação, promoção e desenvolvimento das obras, sendo assim fiel ao Carisma e confiante na Divina providencia.


Irmã Henez A. Murbach – Filha da Caridade.